O vinho brasileiro na Vitrine do mundo

O vinho brasileiro na Vitrine do mundo

o Brasil com a sua diversidade tem 6 regiões produtoras de vinhos e só uma delas, na região do São Francisco, precisa de irrigação.

Há algum tempo atrás ninguem ouvia falar no vinho brasileiro fora do país, até o consumo interno, não era o suficiente para as Vinicolas alavancarem os seus negocios. Muita gente ainda  pergunta, como um país tropical pode produzir vinhos? Realmente a maioria  dos paises produtores de vinhos, tem temperaturas amenas, mas o Brasil com a sua diversidade tem 6 regiões produtoras de vinhos e só uma delas, na região do São Francisco, precisa de irrigação.

“Em 1875, com a chegada dos italianos, principalmente vindos da região do Veneto, é que a vitivinicultura , mesmo um pouco rude começou a florescer na região do Rio Grande do Sul. Foi-se formando pequenas empresas familiares”

Se você estiver  pensando que o Brasil não tem tradição em vinho, até pode ter razão se comparar com a França e a Italia que cultivam e elaboram vinho há milhares de anos. O primeiro vinho que chegou ao Brasil veio com a comitiva de Pedro Alvares Cabral, para ser usado nas Missas. A partir daí, houve varias tentativas dos portugueses em plantar videiras no Brasil , mas a unica que veio a vingar, foi plantada em 1532 pelo fidalgo português, Brás Cubas , que fazia parte da comitiva  de Martin Afonso de Souza, donatario da capitania de São Vicente.

Em 1875, com a chegada dos italianos, principalmente vindos da região do Veneto, é que a vitivinicultura , mesmo um pouco rude começou a florescer na região do Rio Grande do Sul. Foi-se formando pequenas empresas familiares. Somente um seculo depois, la pelos anos 70 é que as primeiras multicinacionais começaram a investir no ramo de bebidas e com isso trouxeram tecnologia, grande variedades de mudas nobres, Knowhow e capital para investimento.Pensando bem, o Brasil tem apenas um pouco mais de 30 anos, que começou com um avanço na moderna vitivinicultura.

De lá para cá, o Brasil tem alcançado muito reconhecimento internacional e vem surpreendendo cada vez mais os experts e os apreciadores desta bebida milenar.

Iramaia Kotschedoff
Embaixadora do vinho brasileiro na Alemanha

Iramaia Kotschedoff

Comentários

comentário

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe um comentário